Aprenda Islandês de Graça na Internet!

junho 2, 2008

Chegou uma excelente opção pra quem quer aprender Islandês de forma rápida, divertida, e o melhor, de graça.

O Livemocha, famoso site de ensino de idiomas, lançou o curso de Islandês. Juntamente como esse, há as outras opções, como Alemão, Espanhol, Francês Hindi, Inglês, Italiano, Japonês, Mandarim, Português e Russo.

O site é bem simples, é só entrar, se cadastrar e pronto; só escolher o curso e estudar!

Acesse agora: http://www.livemocha.com

Caso você tenha alguma dificuldade, não hesite em nos deixar um comentário, que enviaremos um convite para você através do seu e-mail! 😉

Anúncios

Marketing Material Creator – o fim das micro Agências de Publicidade?

maio 30, 2008

Muitas micro e pequenas Agência de Publicidade tiram o seu sustento de panfletos regionais, flyers de festas, e na mais alta das probabilidades, um outdoor ali ou aqui.

Ganham dinheiro com isso porque, em geral, ou o cliente não tem um sobrinho de 12 anos que mexa no computador, ou porque é caprichoso e queira ver o mínimo de profissionalismo nas peças que exporão seu produto ou serviço.

Posso estar enganado, mas parece-me que este cenário sofrerá um pequeno abalo. Conheci ontem o BrandDoozie, um site que tem como promessa criar “material de marketing” em minutos, ou, como diz no site, “The Web Application that creates marketing materials in minutes“. Para isso, dispõem de ferramentas como criação de marca, construtor de logo, e um estoque enorme de fotos totalmente free.

Apesar de estar em vesão beta, o serviço está longe de ser mais um sitezinho Web 2.0. O sistema é perfeitamente funcional – e intimidante! Veja só a foto da área de trabalho pessoal abaixo:

Com vídeos explicativos e uma metodologia bem simples, só fica faltando uma versão em português do serviço para que ele deslanche aqui no Brasil – e tire a receita de muita agência por aí.

Tremei, mortais.


As 5 Extensões mais Inúteis do Firefox

maio 30, 2008

O Firefox é o melhor navegador do mundo, isso é fato.

É fato também que muitas das suas extensões salvam a vida de muita gente por aí, sejam desenvolvedores, webdesigners e até mesmo usuários comuns que querem ampliar o leque das atividades de seu navegador, ouvindo música e baixando torrent através dele, por exemplo.

Existem várias páginas da Web com as extensões mais “indispensáveis” pro Firefox. Hoje, o Clique na Imagem para Ampliar faz o contrário…com vocês: As 5 extensões mais dispensáveis do Firefox!

1) STOP in The Name of Love

A música “Stop in the name of love” fez muito sucesso, seja na versão cantada por Diana Ross ou outras. Porém, há quem tenha gostado tanto do som a ponto de dar-lhe um novo sentido.

Essa extensão do Firefox é inútil. Tá vendo aquele coraçãozinho na imagem? É naquilo que o seu botão “Stop” vira. E não é só isso. Você está de madrugada, acessando um site pesadíssimo em flash, e, cansado, aperta stop e “STOP! IN THE NAME OF LOOOOVE…”. Qualquer um cai da cadeira.

2) Google Icon

Está achando a interface do Google muito branquinha? Que tal enchê-la de favicon.ico’s nos resultados das pesquisas? É a isso – e só a isso – que a extensão Google Icon se presta.

Útil demais. Como ninguém havia pensado nisso antes?

3) Confuscator

Existem textos bons e ruins na internet. Se você achar um muito bom mesmo, e quiser destacá-lo, faço da pior maneira possível: Use o Confuscator. Com ele, basta um clique no texto e…tcharam! Vocês tem uma caixa de alerta com todo o texto selecionado.

Melhor do que isso, só se fosse em pop-up.

4) Blocksite

Não quer que seu filho acesse o site da playboy? Quer impedir que aquele seu sobrinho chato fique pegando spyware baixando trocentos cracks e serias pro Flash? Então use algum bloqueador de site, QUALQUER UM, menos esse.

Com o Blocksite, você pode impedir o acesso a “www.playboy.com.br”. Mas qualquer criança consegue acessar o site digitando o endereço sem o www, que o ‘bloqueador’ em questão deixa. Além do mais, nem o próprio criador da extensão recomenda o seu uso para proteção de conteúdo adulto. Basicamente, ele te protege dos sites que você não quer entrar. Interessante…

5) LeetKey

Quem mandar um scrap para o seu amigo do Orkut em código binário? QU3R B4NC4R 0 3SP3RT0 4CH4ND0 QU3 N3NHUM R3T4RD4D0 (0NS3GU3 L3R 1SS0? Seus problemas acabaram. Com o Leetkey, você tem uma poderosa ferramenta que te permite converter seu texto simples em código binário, ASCII, ROT13, BASE64, HEX e até código morse.

Confessa, você estava procurando por isso desde o início da internet!


Como Detectar as Redes Sociais que seu Visitante Acessa

maio 28, 2008

Afinal, isso é possível? Alguns levantariam a hipótese de uma questionário, outros por estatísticas via cliques em recomendações, mas alguém lá da Índia inventou uma opção mais inteligente (alguém duvida que os indianos vão dominar o mundo?)

O cara simplemente criou o SocialHistory.js, um arquivinho JavaScript simples que detecta as Redes Sociais gravadas nos Bookmarks do visitante.

user = SocialHistory();
var visitsDigg = user.doesVisit("Digg");
var visitsSlashdot = user.doesVisit("Slashdot");
var listOfVisitedSites = user.visitedSites();

O negócio parece que funciona mesmo, e você pode fazer o download do arquivo aqui, e saber um pouco mais sobre essa invenção no blog do criador.


Credibilidade nos Jornais – A Morte da Mídia Tradicional

maio 28, 2008

Eu tenho assisitido ao declínio do jornalismo desde que a internet começou a substituir a mídia impressa e a televisão como principal provedor de notícias, e confesso que acompanhar a tudo isso nem sempre foi bom.

Mas hoje, a notícia do topo da CNN foi o fim da linha.

Esse é o título que resume a notícia pra quem, como eu, recebe as notícias sem imagens pelo leitos de feed:

Crianças de 6 anos são forçadas a trocar sexo por comida, diz organização

“Um garota pobre do Haiti consegue ganhar $2.80 e um pouco de chocolate”, disse ela à uma instituição de caridade européia. Tudo o que ela tem que fazer é fazer sexo com um agente humanitário. Sua história é mais uma das alegações de que soldados da ONU abusam de crianças.

Mas se você ler toda a notícia, você verá que não tem nada a ver com uma criança de 6 anos sendo estuprada, mas sim o seguinte:

Na reportagem “Ninguém para se transformar” uma garota de 15 anos do Haiti disse aos pesquisadores “Minhas amigas e eu estávamos andando pelo Palácio Nacional numa tarde, quando encontramos alguns agentes humanitários. Os homens nos chamaram e mostraram seus pênis.”

“Ele ofereceram-nos 100 gourdes haitianos (o que equivale a U$2.80) se nós praticássemos sexo oral. Eu disse ‘não’, mas uma das minhas amigas fez e pegou o dinheiro.”

Esse vai e vem de informações é tão cheio de erros que chega a ser grostesco. A história muda de “Agentes humanitários pagam para fazer sexo com adolescentes” para “Crianças de 6 anos são forçadas a trocar sexo por comida.”

O maior problema com as notícias serem disseminadas online é que não existe isolamento geográfico (como no caso da mídia impressa ou TV), o que significa que todos as redes locais competem uma contra a outra para ver quem tem mais leitores. Logo, as notícias começam a serem feitas para atraírem o máximo de audiência… e a maioria das pessoas se preocupa muito mais com a Vida de casal de Angelina Jolie e Brad Pitt do que com muitas pessoas que desapareceram da cidade de Darfur esta semana (30,000 cliques ao total).


Azul = Angelina Jolie, Vermelho = Darfur.

Os jornais não ajudam mais, e sim fabricam notícias.

Antigamente, os jornais tinham uma credibilidade inabalável. Editores morriam por isso. Mas hoje, até os mais respeitados dos jornais do planeta está entrando na moda, e dando fim a era das informações precisas e do bom jornalismo.

Eu não sou o primeiro a fazer esta reclamação e eu não tenho nenhuma conexão com o mundo jornalístico, exceto por algumas lembranças do passado, quando eu dirigia o jornal do colégio.

Eu entendo que os jornais são um negócio e para darem lucro, não raramente devem ser guiados por publicidade. Eu também entendo que os jornais são uma força maior e que podem até manter o governo sob suspeitas através da disseminação da informação. Mas com todos esses artigos sensacionalistas, chamadas inapropriadas, eles simplesmente estão jogando toda a sua credibilidade fora em troca de diggs. Estão renunciando a tudo que construíram em troca de dinheiro – afinal, alguém tem que lucrar.
Original, em inglês: http://a.viary.com/bizblog/posts/the-death-of-news-credibility


Diferenças entre a Imagem da TV Analógica e da TV Digital

maio 21, 2008

Certamente você já se vez essa pergunta pelo menos alguma vez. Poderíamos discutir por horas todas as diferenças técnicas e tal, mas, em suma, é isso:

😛