John McCain está Pagando Eleitores para Comentar em Blogs!

agosto 8, 2008

Quem está acompanhando as eleições dos EUA pela internet, certamente está se divertindo com os comentários de muitos internautas anti-Republicanos, ao dizerem que “McCain não entende nada de internet”, ou quando fazem severas críticas a idade candidato, criando sites como o “Coisasmaisnovasquemccain.com” (vale a visita!).

De fato, o candidato é meio “paradão” mesmo, e já arranjou briga inclusive com a patricinha Paris Hilton, ao dizer que o outro cadidato (Barack Obama) era tão fútil quanto ela. Tomou o troco, ao ser ridicularizado com um suposto vídeo de candidatura da atriz americana, que você pode ver aqui.

Mas quem pensava que o candidato não entendia nada de internet, agora vai começar a pensar diferente. E tudo isso por um esquema que eu ousaria batizar de bloguensalão, o mensalão dos blogs. Tudo funciona de uma maneira relativamente simples: No site do candidato, existe uma seção chamado “Spread the Word”, traduzido livremente aqui como “Espalhe as Idéias”.

Lá, o visitante encontrará várias propostas do candidato republicano, formatadas para a internet (“John McCain tem um abrangente plano econômico”, etc), da qual, pelo famoso CTRL+C CTRL+V, o internauta pode copiar e sair colando por aí, nos comentários dos blogs.

Ora, e daí? E daí que esse ato não é apenas simplesmente fomentado no site, mas também é oferecido ao usuário alguns “presentinhos por isso”.

Exatamente. Após todo ocopiar-colar nos comentários de blogs, você vai ganhando pontos, como em um programa de milhagem, o que dará direito a brindes como livros autografados pelo candidato, broches, material de campanha, e acredite, até mesmo uma viagem de ônibus com o candidato (!!)

Olha, sinceramente, depois dessa, eu só gostaria de dizer que John McCain tem um abrangente plano econômico que criará milhões de empregos para os americanos, dará maior segurança nas questões da energia do país, e trazer alívio aos consumidores. Além disso, existem sérias questões em jogo nesta eleição, e sérias diferenças entre os candidatos. E vamos argumentar sobre elas, como devemos. Mas deve continuar a ser um argumento entre amigos, cada um de nós lutando para ouvir a nossa consciência, e preste atenção a suas necessidades, cada um de nós, apesar das nossas diferenças, unidos na nossa grande causa, e respeitosa da bondade em si. 🙂


Aprenda Islandês de Graça na Internet!

junho 2, 2008

Chegou uma excelente opção pra quem quer aprender Islandês de forma rápida, divertida, e o melhor, de graça.

O Livemocha, famoso site de ensino de idiomas, lançou o curso de Islandês. Juntamente como esse, há as outras opções, como Alemão, Espanhol, Francês Hindi, Inglês, Italiano, Japonês, Mandarim, Português e Russo.

O site é bem simples, é só entrar, se cadastrar e pronto; só escolher o curso e estudar!

Acesse agora: http://www.livemocha.com

Caso você tenha alguma dificuldade, não hesite em nos deixar um comentário, que enviaremos um convite para você através do seu e-mail! 😉


Marketing Material Creator – o fim das micro Agências de Publicidade?

maio 30, 2008

Muitas micro e pequenas Agência de Publicidade tiram o seu sustento de panfletos regionais, flyers de festas, e na mais alta das probabilidades, um outdoor ali ou aqui.

Ganham dinheiro com isso porque, em geral, ou o cliente não tem um sobrinho de 12 anos que mexa no computador, ou porque é caprichoso e queira ver o mínimo de profissionalismo nas peças que exporão seu produto ou serviço.

Posso estar enganado, mas parece-me que este cenário sofrerá um pequeno abalo. Conheci ontem o BrandDoozie, um site que tem como promessa criar “material de marketing” em minutos, ou, como diz no site, “The Web Application that creates marketing materials in minutes“. Para isso, dispõem de ferramentas como criação de marca, construtor de logo, e um estoque enorme de fotos totalmente free.

Apesar de estar em vesão beta, o serviço está longe de ser mais um sitezinho Web 2.0. O sistema é perfeitamente funcional – e intimidante! Veja só a foto da área de trabalho pessoal abaixo:

Com vídeos explicativos e uma metodologia bem simples, só fica faltando uma versão em português do serviço para que ele deslanche aqui no Brasil – e tire a receita de muita agência por aí.

Tremei, mortais.


Fotos Incríveis de uma das Últimas Tribos Intocadas do Mundo

maio 30, 2008

Pele pintada de vermelho, cabeças parcialmente raspadas e apontado seus arcos e flechas em direção a um helicóptero. O gesto já diz tudo: Não chegue perto.

O aparente nervosismo mostrado por essas pessoas é perfeitamente compreensível. Eles são membros de uma das últimas tribos indígenas que ainda não tiveram contato com a civilização moderna. E vivem – adivinha aonde – aqui na Amazônia, bem na fronteira com o Peru.

Mirian Ross, da Survival International, uma organização que visa proteger os indígenas que ainda não tiveram contato conosco, diz: “Essas fotos são a evidência de que tribos intocadas ainda existem. O mundo precisa acordar para isso, e entender que o território deles está protegido por acordos de leis internacionais. Do contrário, em breve eles serão extintos.”

Vi aqui


Como Detectar as Redes Sociais que seu Visitante Acessa

maio 28, 2008

Afinal, isso é possível? Alguns levantariam a hipótese de uma questionário, outros por estatísticas via cliques em recomendações, mas alguém lá da Índia inventou uma opção mais inteligente (alguém duvida que os indianos vão dominar o mundo?)

O cara simplemente criou o SocialHistory.js, um arquivinho JavaScript simples que detecta as Redes Sociais gravadas nos Bookmarks do visitante.

user = SocialHistory();
var visitsDigg = user.doesVisit("Digg");
var visitsSlashdot = user.doesVisit("Slashdot");
var listOfVisitedSites = user.visitedSites();

O negócio parece que funciona mesmo, e você pode fazer o download do arquivo aqui, e saber um pouco mais sobre essa invenção no blog do criador.


Revista Chinesa faz Ensaio Sensual nos Destroços do Terremoto

maio 28, 2008

A Liberdade de Expressão é uma droga. Crucifique-me, vá lá, mas antes me diga: Existiria Créu na época da Ditadura? Nem a primeira velocidade!

Falam mal da China, que é isso, que é aquilo. Não sei, nunca fui lá. Mas uma revista (chamada The New Travel Weekly) passou um “pouco” dos limites, até mesmo para padrões americanos. Os caras simplesmente inventaram a idéia genial de fazer um ensaio fotográfico…nas ruínas do último terremoto, que matou mais de 50 mil pessoas!! Veja as fotos escaneadas da revista abaixo:

Golpe de marketing? Estratégia para protesto? Não sei, mas apoio totalmente o governo da China, que – adivinha – tirou a revista de circulação.

“Bem feito”, ou, em bom mandarim, 他们当之无愧. (Tamen dangzhiwukui)


Credibilidade nos Jornais – A Morte da Mídia Tradicional

maio 28, 2008

Eu tenho assisitido ao declínio do jornalismo desde que a internet começou a substituir a mídia impressa e a televisão como principal provedor de notícias, e confesso que acompanhar a tudo isso nem sempre foi bom.

Mas hoje, a notícia do topo da CNN foi o fim da linha.

Esse é o título que resume a notícia pra quem, como eu, recebe as notícias sem imagens pelo leitos de feed:

Crianças de 6 anos são forçadas a trocar sexo por comida, diz organização

“Um garota pobre do Haiti consegue ganhar $2.80 e um pouco de chocolate”, disse ela à uma instituição de caridade européia. Tudo o que ela tem que fazer é fazer sexo com um agente humanitário. Sua história é mais uma das alegações de que soldados da ONU abusam de crianças.

Mas se você ler toda a notícia, você verá que não tem nada a ver com uma criança de 6 anos sendo estuprada, mas sim o seguinte:

Na reportagem “Ninguém para se transformar” uma garota de 15 anos do Haiti disse aos pesquisadores “Minhas amigas e eu estávamos andando pelo Palácio Nacional numa tarde, quando encontramos alguns agentes humanitários. Os homens nos chamaram e mostraram seus pênis.”

“Ele ofereceram-nos 100 gourdes haitianos (o que equivale a U$2.80) se nós praticássemos sexo oral. Eu disse ‘não’, mas uma das minhas amigas fez e pegou o dinheiro.”

Esse vai e vem de informações é tão cheio de erros que chega a ser grostesco. A história muda de “Agentes humanitários pagam para fazer sexo com adolescentes” para “Crianças de 6 anos são forçadas a trocar sexo por comida.”

O maior problema com as notícias serem disseminadas online é que não existe isolamento geográfico (como no caso da mídia impressa ou TV), o que significa que todos as redes locais competem uma contra a outra para ver quem tem mais leitores. Logo, as notícias começam a serem feitas para atraírem o máximo de audiência… e a maioria das pessoas se preocupa muito mais com a Vida de casal de Angelina Jolie e Brad Pitt do que com muitas pessoas que desapareceram da cidade de Darfur esta semana (30,000 cliques ao total).


Azul = Angelina Jolie, Vermelho = Darfur.

Os jornais não ajudam mais, e sim fabricam notícias.

Antigamente, os jornais tinham uma credibilidade inabalável. Editores morriam por isso. Mas hoje, até os mais respeitados dos jornais do planeta está entrando na moda, e dando fim a era das informações precisas e do bom jornalismo.

Eu não sou o primeiro a fazer esta reclamação e eu não tenho nenhuma conexão com o mundo jornalístico, exceto por algumas lembranças do passado, quando eu dirigia o jornal do colégio.

Eu entendo que os jornais são um negócio e para darem lucro, não raramente devem ser guiados por publicidade. Eu também entendo que os jornais são uma força maior e que podem até manter o governo sob suspeitas através da disseminação da informação. Mas com todos esses artigos sensacionalistas, chamadas inapropriadas, eles simplesmente estão jogando toda a sua credibilidade fora em troca de diggs. Estão renunciando a tudo que construíram em troca de dinheiro – afinal, alguém tem que lucrar.
Original, em inglês: http://a.viary.com/bizblog/posts/the-death-of-news-credibility